Secretaria Municipal de Meio Ambiente cria modelo de um projeto Italiano para evitar a degradação do Rio Itapecuru em Coroatá.

O projeto vem de um modelo criado em 1999, com a participação e orientação de um grupo italiano que promete diminuir os impactos ambientais que ocorrem quando os mananciais recebem cargas de esgoto, o modelo piloto implantado recentemente em Coroatá as margens do rio Itapecuru por uma equipe da Secretária Municipal de Meio Ambiente começa a surtir bons efeitos.

 

O modelo tem um custo benefício voltado para a saúde da população e um financiamento baixo se comparado ao prejuízo com os impactos negativos de cunho econômico, ambiental e social e funciona da seguinte forma são construídas ao longo de canais caixas receptoras composta por pedra, seixo, areia grossa lavada, tendo como objetivo facilitar a subida do esgoto sendo que a parte superior composta por areia grossa deságua na caixa seguinte e assim consequentemente em quantas caixas tiver onde cada uma delas que tem como principal função retirar as impurezas transformando o liquido numa água filtrada e límpida pronta para o consumo humano.

O investimento no tratamento de efluentes, pode significar um grande salto para o desenvolvimento em termos da dotação da infraestrutura requerida para proteger o meio ambiente e melhorar a qualidade de vida da população, assim como propiciar novas oportunidades de negócios. a coleta, o tratamento e a disposição ambientalmente adequada de efluentes são fundamentais para a melhoria do quadro de saúde da população.

FONTE: SEMCAP