Governo Federal conclui asfaltamento da BR-163/PA

Após décadas, DNIT e Exército entregam trecho crítico da rodovia, que passa a ser completamente asfaltada, de Sinop (MT) até Miritituba (PA)

O Ministério da Infraestrutura comemora um momento histórico para o país. Após promessa feita pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas no começo do ano, a BR-163/PA, iniciada na década de 1970, está completamente asfaltada entre Sinop (MT) e Miritituba (PA). O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e o Exército Brasileiro concluíram as obras em 51 km entre Moraes Almeida (PA) e Novo Progresso (PA), trecho que faltava para interligar, definitivamente, os dois estados.

“Com orgulho, comunico a conclusão do asfalto da BR-163 até Miritituba/PA. No carnaval, em nome do presidente Jair Bolsonaro, prometi a caminhoneiros numa fila de 50 km por conta da lama, que seria a última vez que passariam por aquilo. O Exército e o DNIT cumpriram a missão”, informou o ministro em seu Twitter. Freitas participa de roadshow com investidores na Europa.

A obra será entregue até o fim do ano, o que significa a garantia de escoamento da safra de grãos que sai do centro do país, sobretudo do estado do Mato Grosso, até os portos do Pará, com destaque para Miritituba. A rodovia vai garantir mais segurança para os caminhoneiros, que, até então, passavam dias em atoleiros no trecho crítico em questão, principalmente na época de chuvas.

Após a determinação do presidente, soldados do Exército trabalharam de forma ininterrupta, mesmo com clima desfavorável e incidência do dobro de chuva na região, se comparada à média dos últimos dez anos. Além do asfaltamento, também foi realizada manutenção em 1.300 km na rodovia, de Sinop (MT) a Santarém (PA). A rodovia federal impulsionará a economia, escoando produtos agrícolas pelo Brasil e incrementando a exportação para outros países.

Preservação Ambiental – Além das obras de asfaltamento e manutenção, o DNIT também iniciou o trabalho de hidrossemeadura na região – quando há aplicação de sementes para criar vegetação de proteção no local. O objetivo da medida é proteger os taludes de erosões.

Coordenação de Comunicação Social – DNIT