O jornal O Estado do Maranhão, de propriedade da família Sarney, parece ter passado de todos os limites para atender aos desejos espúrios dos seus proprietários. Na edição desta segunda-feira, o pasquim chega ao absurdo de afirmar que quanto maior o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), pior é a educação.

Em uma matéria cheia de erros sobre o programa ‘Sim, Eu Posso’, que está tirando milhares de maranhenses dos índices de analfabetismo, o periódico de Sarney tenta fazer um malabarismo jornalístico para ludibriar a população sobre uma piora inexistente – pelo contrário – na educação do Maranhão.

“O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), por enquanto só subiu: era e 2,8 pontos em 2013. Chegou a 3,1 em 2017. Nesse índice, quanto mais alto o número, pior é o desempenho”, teve coragem de afirmar reportagem do jornal O Estado do Maranhão.

Pelas redes sociais, o governador Flávio Dino e o secretário de Educação, Felipe Camarão, reagiram ao disparate. “‘Quando mais alto o IDEB, pior a educação’. Esse é o nível da crítica do grupo Sarney ao nosso governo. E ainda inventaram o IDEB de 2017, que sequer foi divulgado. Deus nos proteja dessa gente”, disparou Dino.

“Apesar da IMENSA RATADA de dizer que quanto mais alta a nota do IDEB, pior é o desempenho (rsrsrs), agradeço o reconhecimento do jornal O Estado do Maranhão ao afirmar que no atual governo nossos índices educacionais ‘SÓ’ melhoraram”, tripudiou Camarão.

O “erro” do jornal de Sarney demonstra o desespero em que o clã se encontra às vésperas de uma eleição que caminha para o enterro final da última oligarquia do Brasil.