Estudantes do ensino público se destacando em competições internacionais sempre foi uma utopia no imaginário do povo maranhense. Mas com vultuosos investimentos em educação, o Governo do Estado conseguiu realizar esse sonho de décadas e hoje colhe importantes frutos para a nova geração. A exemplo de 28 estudantes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA), de Timon, que conquistaram medalha de bronze na Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteira (OIMSF).

Nesta quarta-feira (30), o governador Flávio Dino recebeu os medalhistas no Palácio dos Leões para uma congratulação pessoal. “Ficamos muito felizes de ver esse êxito, essas conquistas desses estudantes, da nossa equipe de professores, gestores e funcionários, que estão acreditando que pela educação, de fato, você constrói uma sociedade com mais justiça social. Uma sociedade que verdadeiramente possa ser chamada de desenvolvida”, ressaltou.

O governador falou aos estudantes que os investimentos em educação, sobretudo em escola em tempo integral como o IEMA, são realizados com o objetivo de garantir igualdade de chances e igualdade de oportunidades. “É um processo de mudanças, não acontece da noite para o dia. Mas é muito importante você ver os resultados acontecendo e ver que esse é o caminho que nós devemos continuar a trilhar”, reiterou.

A OIMSF é uma competição de matemática que oferece exercícios que estimulam a imaginação, a racionalização e a formalização de situações cotidianas e também a diversão, iniciativa pessoal, organização e cooperação. Com a medalha, o IEMA de Timon foi convidado pela rede POC (Programa Olimpíadas do Conhecimento) para participar, em outubro, de uma competição internacional em Lucknow, na Índia, na prova Sound of Silence, que é relacionado a pantomima. O governador Flávio Dino garantiu apoio para participação da equipe no campeonato.

Feliz e orgulhoso com a conquista, Cícero Henrique, 15 anos, estudante da turma de Informática Biométrica, disse que a competição despertou ainda maior interesse para o estudo da matemática e a medalha de bronze estimulou mais os alunos a se dedicarem. Outro fator diferencial, segundo ele, é o modelo de escola de tempo integral e profissionalizante, dotado de toda a estrutura necessário para um bom aprendizado do IEMA.

“Eu creio que o IEMA vem para quebrar essa coisa de as disciplinas serem explicadas apenas na teoria. Lá na escola existem as aulas de laboratório, onde não aprendemos só na teoria, como também na prática”, explicou Cícero.

A professora de matemática do IEMA Timon, Anna Thecya, reforça a questão da estrutura diferenciada da escola para melhor aproveitamento dos alunos. “Devido a essas práticas, a junção da parte teórica e prática, que é com laboratório e as salas de informática, os meninos estão alcançando vários resultados, inclusive nessa olimpíada, porque facilita muito o aprendizado”, afirmou.

Os 28 estudantes do IEMA de Timon se juntam ao rol de sucesso que o Instituto tem alcançado em competições internacionais. Outras unidades, como a de Pindaré, já foram vencedoras de prêmios internacionais e participaram de competições no Japão e Portugal.

Por isso, segundo Flávio Dino, é preciso investir bastante, como o Governo tem feito, nessa rede de educação integral e na formação plena dos estudantes, abrangendo conhecimentos técnicos, mas também formação cidadã, ética, criatividade, imaginação, para que eles possam ter uma educação melhor, para que o estado seja cada vez mais capaz de prover direitos e serviços públicos para todos os maranhenses, e isso depende da elevação, do nível e da capacidade do povo. “E esse investimento, portanto, se articula, com esse grande objetivo de termos um Maranhão forte, desenvolvido e justo para todos”, completou o governador.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here